Home / Destaques / Nota à Imprensa: Sindseps denuncia vulnerabilidade dos postos de saúde e afirma que sempre cobrou segurança à Prefeitura de Salvador

Nota à Imprensa: Sindseps denuncia vulnerabilidade dos postos de saúde e afirma que sempre cobrou segurança à Prefeitura de Salvador

“Foi uma covardia contra a vida dos trabalhadores e usuários da unidade de saúde, além de uma afronta à cidade. A falta de capacidade da Prefeitura de Salvador em garantir a segurança nas unidades de saúde tornou esses ambientes altamente vulneráveis e suscetíveis para as ações marginais”. Com essa declaração, o coordenador geral do Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Salvador [Sindseps], Marcelo Rocha comentou o episódio ocorrido na tarde dessa segunda-feira [10], no bairro de Santa Cruz, onde bandidos armados fizeram cerca de quinze servidores municipais como reféns após fugirem de abordagem policial.

De acordo com o sindicalista, a diretoria do sindicato sempre aponta essa vulnerabilidade das unidades de saúde como situação a ser resolvida. “Todos os anos em nossas campanhas salariais, a segurança das unidades de saúde é item da pauta de reivindicações. O prefeito e seus secretários não conseguem equacionar essa situação. Preferem o argumento político de que o governo do estado retirou os policiais e não realizam concursos públicos para a Guarda Municipal, por exemplo, para assim aumentar o efetivo e poder atender esses equipamentos públicos. Os postos de saúde são portas abertas para toda e qualquer ação. Nossos colegas vivem aterrorizados”, apontou Rocha.

E continua: “Nesse ano tivemos várias ocorrências nas diversas modalidades de crimes nas unidades de saúde. Tiroteio e cárcere privado como dessa segunda-feira na Santa Cruz já aconteceu também em Brotas. Furtos de equipamentos e medicamentos; assaltos violentos; agressões físicas e assassinatos foram algumas das situações vivenciadas pelos nossos colegas dentro das unidades. Tudo isso porque os criminosos sabem que os postos são abertos, sem triagens e nenhuma segurança física ou predial. Cabe ao prefeito também responder por essa situação e até antecipo que seu principal argumento para isso será querer desqualificar a denúncia como oportunista. Isso não se afirmará como verdade, pois os fatos comprovam e nossa ação em defesa dos trabalhadores está provada nas pautas que protocolamos todos os anos na Prefeitura”, finalizou.

Além disso, verifique

Aposentadoria especial para guardas municipais em pauta na Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei Complementar (PLP) 531/18, do deputado Carlos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *