Home / Destaques / Congresso Nacional derruba veto do golpista Temer na MP do Piso Salarial dos agentes de saúde

Congresso Nacional derruba veto do golpista Temer na MP do Piso Salarial dos agentes de saúde

A derrubada do veto presidencial ao piso salarial dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias foi comemorada pelos trabalhadores, na tarde dessa quarta-feira (17). A matéria em apreciação no Senado que prevê remuneração nacional estava prevista no projeto de conversão oriundo da Medida Provisória (MPV) 827/2018, aprovada em julho pelo Congresso Nacional.

O texto aprovado pelo Congresso fixa a remuneração em R$ 1.250 a partir de 2019. Os agentes receberão R$ 1.400 em 2020 e R$ 1.550 em 2021. A partir de 2022, o piso será reajustado anualmente em percentual definido na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).  O golpista Temer tentou argumentar que essa garantia dos trabalhadores feria o Orçamento e atendendo aos anseios de prefeitos descumpridores da Lei, enviou o veto para o Congresso Nacional.

A luta pelo Piso Salarial da categoria tem sido feita por diversos atores nos municípios e em Brasília. Na capital baiana, diretores do Sindseps comentaram a decisão tomada pelo Congresso Nacional. Para a diretora Edna Maria, a manutenção dessa matéria com sua aprovação e derrubada do veto é mais um estímulo para que a mobilização da categoria continue. “Conheço essa batalha, pois participo de cada etapa desde o início quando muitos negavam participar. Ter essas legislações como ferramentas é importante para fazer as iniciativas que temos produzido no sindicato. Continuamos buscando os direitos previstos em Lei e os agentes de saúde não podem considerar que desistir de lutar seja opção. Vamos permanecer mobilizados e um grande levante da categoria deve ser o caminho para retomarmos nosso histórico vencedor”, afirmou Edna.

Opinião semelhante tem o diretor Paulo Cerqueira. Segundo ele, a derrubada do veto presidencial é importante para mostrar que não existe barreira intransponível na luta por direitos. “A nossa decisão sempre será enfrentar desafios e a luta sindical é o meio ideal para que os trabalhadores tenham seus direitos garantidos. Mesmo com a desobediência dos prefeitos, não podemos deixar de acreditar que temos possibilidades de seremos exitosos nessa demanda. A diretoria do Sindseps continuará atuando nesse sentido na Mesa Permanente de Negociação e não queremos ser únicos protagonistas de qualquer solução, pois os trabalhadores e trabalhadoras é que são os principais personagens desse processo de lutas, conquistas e muita mobilização em torno do Piso Salarial”, declarou Cerqueira.

O piso atual é R$ 1.014,00. Segundo a Lei 11.350/06, que regulamenta os serviços dos agentes de saúde, a União paga 95% do piso salarial para um número limitado de contratados, fixado em decreto de acordo com parâmetros como população e peculiaridades locais. Essa assistência é paga em 12 parcelas, mais um adicional a título de 13º salário.

Além disso, verifique

Sindseps: trinta anos de luta e conquistas para os servidores municipais de Salvador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *